pixa.png

PIXA³

Concluído

PIXA³: uma estratégia inovadora para medir o crescimento de forma fácil, frequente e precisa.

O projeto PIXA³ (Pixel Averages for Auxological Assessment), visou facilitar a medição do crescimento infantil desenvolvendo um método inovador para obter o comprimento/estatura do bebê utilizando apenas fotos tiradas com um celular comum. Dessa forma, os pais poderiam tirar fotos diárias de seu bebê e obter um medida confiável de seu comprimento. No entanto, mensurar a estatura infantil automaticamente através de imagens é desafiador, pois necessita de estimações do posicionamento 3D do corpo do bebê. Neste projeto, desenvolvemos um novo método utilizando adesivos circulares de tamanho fixo que são colados em pontos estratégicos. Por mais que PIXA³ não tenha alcançado o objetivo de  desenvolver com sucesso um método que permitisse uma coleta de dados diária realizada pelas próprias famílias, os experimentos realizados possibilitaram desvelar limitações e potencialidades. Além disso, PIXA³ conseguiu desenvolver uma tecnologia para estimar o comprimento de bebês através de fotos tiradas de telefones celulares, o que é inovador para a literatura.  Os dados obtidos à partir das dificuldades que limitaram o sucesso de PIXA³ e os avanços são essenciais para facilitar o desenvolvimento de novas tecnologias, que poderão se basear nestes dados para melhor orientar seus objetivos, aproximando-nos ainda mais de um método acessível para que seja obtida uma medida velocidade de crescimento infantil. 
Os resultados obtidos ao longo do estudo podem ser considerados essenciais para compreender condições inerentes ao processo de medição de bebês por não terem sido descritas anteriormente, o que facilita a idealização de trabalhos futuros onde pesquisadores poderão delinear suas metodologias a partir das limitações encontradas em PIXA³.

building-674828.jpg

CURRÍCULOS PRÉ-ESCOLARES

Concluído

Uma análise sobre o impacto de um programa de visitação domiciliar no desenvolvimento da linguagem em crianças de um ano de idade​.

Há grande carência de estudos que avaliem o desenvolvimento de linguagem na primeira infância no Brasil, especialmente para crianças de baixo nível socioeconômico.

Este ensaio clínico controlado randomizado, estuda a associação entre responsividade emocional materna e o desenvolvimento da linguagem em crianças participantes de um programa de visitação domiciliar, apresentando grande potencial para avançar o conhecimento sobre intervenções em primeira infância, uma vez que compreender como a linguagem das crianças é influenciada pelos cuidadores destas famílias é fator chave para a implementação de estratégias que promovam amplos desfechos positivos neste quesito.

Este estudo testa a efetividade de um programa intensivo de visita domiciliar realizadas por enfermeiras para jovens gestantes em comparação aos cuidados usuais, oferecidos pela rede pública de saúde. Cinquenta e seis jovens grávidas pela primeira vez,  com idade entre 14 e 19 anos,  foram randomizadas para um dos dois grupos, intervenção (programa de visitação) e controle (cuidados usuais, para avaliar o  impacto do programa de visitação domiciliar no desenvolvimento da linguagem em crianças de um ano de idade.

A análise está sendo feita através da transcrição da comunicação observada entre mãe e bebê (linguagem verbal e não-verbal) através do uso de filmagem de uma interação de uma brincadeira entre elas.. As transcrições foram realizadas com o uso do software CLAN (Childes Talkbank) e a extração dos dados com o mesmo software. Os dados estão em análise.